Repensar-nos diante da crise

Autor: Cristian Camilo Perico Mariño

Twitter: @cristian_perico
Instagram: @cristian_camilo

*As opiniões apresentadas nesta coluna são exclusivamente do autor e não representam a linha editorial do portal.

Em tempos de reclusão, o passar das horas se converte em suplício para muitos. Os estilos de vida agitados e competitivos têm uma pausa inesperada que alguns trabalhadores tanto desejavam; porém, eles não imaginavam que chegaria tão rápido. Nós humanos somos criativos por natureza, uns mais do que outros, mas até o mais inovador não sabe como ocupar todo o tempo que tem livre. Meu convite, nesta reflexão, é para que pensemos em nós mesmos como seres em coletivo e não como indivíduos distantes da condição de vida dos outros. 

O homem, como espécie da ordem dos primatas, é um ser social nato. O interacionismo simbólico permitiu a evolução até nossa era e é praticamente impossível pensar um homo sapiens que não vivesse em coletivo. No entanto, o isolamento preventivo está mostrando a dualidade natural do homem: o individualismo como mecanismo de defesa e o humanismo como corresponsabilidade com o outro. 

Enfrentamos tempos de egoísmo em que o eu, como prioridade única, destrói o bem-estar de quem está ao lado. Pensando no bem comum, os grandes supermercados chegaram ao ponto de limitar o número de produtos por pessoa para evitar a escassez. Isso motivado pela paranoia global que o COVID-19 tem gerado e pelo temor ancestral à morte. A ideia de que somos vulneráveis nos assusta e é precisamente este sentimento o que se transforma em campo de cultivo para a desinformação e o desassossego. 

Tomado de: eju.tv

Contudo, o panorama também evidencia como podemos chegar a ser mais humanos em situações de medo. Além das condições próprias e unipessoais, o reconhecimento do outro e de seu trabalho legitima as profissões da área da saúde. Estas pessoas, tão normais como você e eu, estão arriscando sua sanidade para proporcionar bem-estar ao outro. Em agradecimento ao seu trabalho, a comunidade está saindo nas varandas e janelas para aplaudir estes heróis sem capa, mas com jaleco, que lutam para controlar o inimigo comum de 183 países. 

Ao mesmo tempo, o grande beneficiado desta situação global é o planeta. Os efeitos negativos do Coronavírus são evidentes, representados por mais de 5000 mortes. De acordo com a National Geograohic España, no estado de Hubei, na China, o promédio dos dias sem contaminação atmosférica aumentou 21,5%. Algo parecido aconteceu na Europa, onde se evidencia uma melhora drástica na qualidade do ar e em Veneza é possível ver os canais de água, que transportam milhões dos turistas, mais limpos do que antes.

Tomado de: Classicfm.com

Isto, sem dúvida, nos leva a questionar sobre nossas atividades cotidianas, estilos de vida que levamos e nosso papel para a construção de uma sociedade baseada na responsabilidade ambiental. Portanto, é mais coerente que as medidas de contingência diante desta pandemia não se reduzam a decretos e decisões do governo; temos de pensar no outro cuidando de nós mesmos. Esse deveria ser o pilar da convivência social, não somente em tempos de crise. 

Responder

Introduce tus datos o haz clic en un icono para iniciar sesión:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Cerrar sesión /  Cambiar )

Google photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google. Cerrar sesión /  Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Cerrar sesión /  Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Cerrar sesión /  Cambiar )

Conectando a %s